Você sabia que toda pessoa presa tem direito a receber visita dos seus familiares?

15 de março de 2021/picua

A lei brasileira assegura esse direito no artigo 41, inciso X, da Lei de Execuções Penais (Lei n. 7.210/1984). Além disso, a própria Organização das Nações Unidas, estabeleceu regras mínimas para o tratamento das pessoas presas (Regras de Mandela) que reafirmam o direito do preso ou da presa a ter contato com o mundo exterior, por correspondência e por meio de visitas.

O objetivo desta cartilha, portanto, é oferecer informações sobre:
i)como enviar correspondências e sedex a pessoa presa,
ii) quais os procedimentos necessários para realizar as visitas aos Centros de
Detenção Provisória (CDP).

Cartas

A carta é o modo mais fácil e imediato de se comunicar com alguém que foi preso. Isso porque, qualquer pessoa pode enviar cartas para o CDP, ou seja, você pode fazer isso antes mesmo de estar no rol de visitas ou de ter feito a sua carteirinha.

Depois de escrever a sua mensagem, e colocá-la em um envelope. Você deve escrever nas costas do envelope: o nome da pessoa presa, o número da matrícula e o raio. Na parte do endereço você deve colocar a localização
do CDP.

Veja um exemplo:

Na parte da frente do envelope, basta colocar o seu nome completo e endereço. Depois é só levar no correio e pagar a taxa de postagem.

E se eu não tiver o número de matrícula ou as informações sobre o raio?

Nesse caso você precisa ligar para a unidade em que a pessoa foi encaminhada e informar o nome dela completo, documento de identidade, ou nome da mãe. Os funcionários do próprio CDP poderão informar esses
dados.

Dica! Se você tiver possibilidade, envie dentro do seu envelope com a carta folhas em branco, outro envelope novo e selos para que a pessoa possa te responder.